magazine RISCO ZERO n3 - page 32

magazine risco zero
nete de Apoio ao Estudante e o Centro de Simulação Médica.
O CEDUMED tem participado em grande parte dos encon-
tros científicos de saúde realizados no país (nomeadamente
organizados pelas várias Faculdades de Medicina e por Hos-
pitais de referência) e também em encontros internacionais,
apresentando comunicações e conferências, participando em
mesas redondas e oferecendo cursos de curta duração, entre
os quais cursos presenciais (e à distancia) sobre Utilização
da Biblioteca Virtual em Saúde BVS-BIREME (para procura
de informação) e sobre Utilização da Plataforma MOODLE
(para apoio ao e-learning e b-learning). No que concerne aos
encontros, devemos destacar a participação no I Workshop
das Faculdades de Medicina (Governo de Angola e Ordem
dos Médicos, Luanda, 2011), nas duas Reuniões de Educação
Médica da Comunidade Médica de Língua Portuguesa (Or-
dens dos Médicos da CPLP, Maputo, 2010 e Luanda, 2011) e
nos I e II Encontros de Educação Médica (2012 e 2014, respec-
tivamente) em Luanda, organizados pelo CEDUMED e pela
Faculdade de Medicina da UAN.
Grande parte das acções do CEDUMED tem sido desenvol-
vida no quadro da cooperação internacional (e igualmente
em colaboração com actores nacionais), destacando-se uma
intensa cooperação com a Faculdade de Medicina do Porto
entre 2005 e 2012
(24)
apoiada pelo IPAD e pelo Instituto Ca-
mões, com base sucessivamente no Programa Estruturante
de Qualidade e Excelência da Educação/Formação Médica na
FMUAN: Vector da promoção da saúde das populações em
Angola” (2005-2010) e no projecto Educação Superior em Saú-
de (ES-SAÚDE): construir um currículo modelo e potenciar a
qualidade na formação pós-graduada de docentes e profissio-
nais de saúde (2010-2012); o CEDUMED integrou o consórcio
internacional do projecto Global Health Initiatives in Africa
(GHIs in Africa, financiado pela Comunidade Europeia, de
2007 a 2009)
(25)
, o projecto A Network Approach in Medical
Education for the pursuit of Quality of Higher Education Ins-
titutions and Health Systems (A NAME for Health, financiado
pelo Programa EDULINK para a cooperação entre a União
Europeia e os Países ACP, 2008-2012)
(26)
e o projecto Rede de
Ensino em Saúde Brasil e Angola (RESaBRAN) vocacionado
para o ensino à distância (UAN e Universidade Federal de Ci-
ências de Saúde de Porto Alegre – UFCSPA, 2009-2010)
(27)
. O
CEDUMED tem acordos de cooperação formais com a Facul-
dade de Medicina do Porto (2005), a Clínica Multiperfil em
Angola (2013) e o Instituto de Higiene e Medicina Tropical de
Lisboa (2014). Para além disso, o CEDUMED vem trabalhando
com o Centro de Saúde e Segurança no Trabalho (Angola)
para a instalação de formação pós-graduada profissional e
académica na área da saúde ocupacional visando dotar o país
de quadros de topo vocacionados para as doenças profissio-
nais e acidentes do trabalho.
COMPROMISSO DO CEDUMED
O futuro desenvolvimento do CEDUMED decorre do percur-
so atrás retratado e das principais áreas de interesse que estão
definidas no seu Estatuto e materializadas como Grupos de
Trabalho, nomeadamente (I) Qualidade, Avaliação e Acredi-
tação da Educação Médica, (II) Bioética e Ética Médica, (III)
Desenvolvimento Profissional Contínuo dos Médicos e (IV)
Ensino à Distância, Simulação Médica e Reforma Curricular.
As Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) cons-
tituem suporte tecnológico fundamental para o Ensino à Dis-
tância (EAD), mas também para a Simulação, a Reforma, o
Desenvolvimento Profissional Contínuo e, duma forma geral,
todas as intervenções do CEDUMED.
No quadro atrás referido, o CEDUMED implementará projec-
tos respondendo às necessidades no domínio da educação
médica angolana em colaboração com as diversas Faculdades
de Medicina, Escolas de Saúde, Hospitais e outros actores, em
articulação cada vez mais estreita com os seus parceiros, de-
signadamente a Ordem dos Médicos de Angola (ORMED), o
Ministério da Saúde (MINSA), a Clínica Multiperfil, o Centro
de Saúde e Segurança no Trabalho (CSST) (ao nível interno);
o Instituto de Higiene e Medicina Tropical de Lisboa (IHMT)
e a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP)
(no plano externo); e a Organização Mundial de Saúde (Ango-
la e Região AFRO) e a Federação Mundial de Educação Médi-
ca (WFME) (como parceiros internacionais).
As grandes referências e orientações nacionais para a edu-
cação médica são as que constam na Estratégia (ENFQ) )
(28)
e no consequente Plano Nacional de Formação de Quadros
2013-2020 (PNFQ)
(29)
, complementadas pelo Plano Nacional
de Desenvolvimento Sanitário 2012-2025 (PNDS)
(30)
.
A ENFQ e o PNFQ definem as “Ciências Médicas e da Saú-
de” como um domínio estratégico de formação e consideram
como competências fundamentais para ser Quadro no Sector
da Saúde (para todas as profissões e especialidades), citamos
1...,22,23,24,25,26,27,28,29,30,31 33,34,35,36,37,38,39,40,41,42,...68