magazine RISCO ZERO n3 - page 10

magazine risco zero
Assim foram consideradas as previsões das taxas de cresci-
mento da nossa economia e da população, e posteriormente
calculados os desequilíbrios entre a oferta disponível e a pro-
cura de quadros no país, por áreas de formação. E o PNFQ é
uma resposta do Governo de Angola para a superação desses
desequilíbrios identificados na Estratégia Nacional de Forma-
ção de Quadros.
Que outro tipo de questões o Plano Nacional de Formação
de Quadros procura responder?
O PNFQ assume como prioridade a promoção do aumento
da qualidade do ensino e da formação em todos os níveis de
formação (formação profissional, médio técnico e superior),
que passa necessariamente pela formação de professores e
formadores para todos os níveis do nosso sistema de ensino
e formação.
O Plano preconiza a implementação de Sistemas de Garan-
tia de Qualidade nas Instituições de ensino e formação que
possam assegurar a qualidade dos processos formativos e de
avaliação das aprendizagens;
A realização de estudos de empregabilidade que possam veri-
ficar e promover a correspondências entre as aprendizagens e
as exigências de desempenho profissional das empresas.
Outrossim, o PNFQ procura catalisar uma melhor articulação
entre as Instituições responsáveis pela gestão do nosso Siste-
ma de Ensino e Formação, visando uma melhor eficiência e
eficácia na utilização dos recursos disponíveis para a qualifi-
cação dos angolanos.
Finalmente, gostaria de sublinhar que decorrente do processo
de implementação PNFQ, iniciado em 2013, foram diploma-
dos um total de 99.665 mil quadros angolanos em todos os
subsistemas de ensino e formação, no biénio de 2013-2014.
“Foram diplomados um total de 99.665
mil quadros angolanos em todos os
subsistemas de ensino e formação, no
biénio de 2013-2014"
1,2,3,4,5,6,7,8,9 11,12,13,14,15,16,17,18,19,20,...68